Cuidados do viajante

Planejar uma viagem é muito bom. As férias vão chegando e o turista vai se organizando para curtir um dos melhores dias do ano. E você? Já comprou suas passagens? E o check list da bagagem? Tudo pronto? Muito bem, mas viajar requer outros cuidados. Seguem alguns dos que considero muito importantes. E se você tem alguma dica, compartilhe. Escreva para contato@fuievouvoltar.com.

Um grande abraço e rumo ao mundo!


Documentação (viagens internacionais)

Como todos sabemos, o passaporte é a nossa identidade internacional, portanto é obrigatório portá-lo em viagens para o exterior. Fique atento aos prazos de validade desse documento e às exigências do país para onde vai viajar em termos de visto. Lembrando que, embora seu passaporte esteja dentro do prazo de validade, alguns países exijem que o documento esteja com alguns meses antes do vencimento.

Esclareça essa ou outras dúvidas nas representações diplomáticas do país de destino ou nos sites dos consulados. Você também pode consultar o site do Ministério das Relações Exteriores: www.portalconsular.mre.gov.br.

No caso dos brasileiros, as viagens para a Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai dispensam o passaporte, sendo aceita a carteira de identidade civil (RG). NÃO são aceitas sob hipótese alguma as carteiras de motorista, as carteiras profissionais ou as carteiras funcionais.

Durante a viagem, é muito importante que você tenha uma cópia dos seus documentos, afim de se evitarem mais transtornos em casos de perda ou roubo. E atenção redobrada com o passaporte, pois esse documento é muito visado por criminosos. Guarde-o sempre em um local seguro.


seguro

Seguro de viagem

Todo mundo questiona a utilidade do seguro de viagem no momento de pagar pelos pacotes turísticos internacionais, mas saiba que ele é de extrema importância. Eu não viajo sem! Imprevistos acontecem, e adoecer longe de casa, além do desconforto do paciente e do transtorno causado à viagem, pode custar muito caro. Uma vez que adquiriu o seguro, durante sua viagem, tenha sempre com você o contrato para, no caso de uma emergência, saber como proceder, para onde ligar ou quem procurar. Clique aqui e leia uma matéria da Exame.com explicando resumidamente como funciona esse seguro.


Vacinas (viagens internacionais)

Alguns países exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou a profilaxia contra a febre amarela. Se você for viajar para o exterior, procure se informar sobre as exigências do país de destino e tome as devidas precauções. Essas informações podem ser obtidas no Sistema de Informações sobre Portos, Aeroportos e Fronteiras (Sispafra) da Anvisa em www.anvisa.gov.br/viajante.

O Certificado Internacional de Vacinação pode ser obtido nos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante da Anvisa, espalhados por todo o país. Você pode agilizar seu atendimento realizando, com antecedência, um pré-cadastro na página do Sispafra. Dependendo do seu destino, outras vacinas poderão ser recomendadas.

O período das vacinas deve ser observado, pois algumas levam um certo tempo para atingirem a proteção esperada. Se você não cumprir esse prazo de proteção, poderá ser impedido de entrar no país de destino. Nem pensar nisso, certo? Então informe-se, previna-se e tenha uma viagem tranquila.


kit hipocondria

Kit hipocondria

Mais vale prevenir que remediar, mas não viajo sem meu kit hipocondria. Nunca se sabe quando a cabeça vai doer, quando a garganta anunciará uma inflamação iminente ou quando os joelhos responderão às caminhadas extenuantes. Mesmo que, para muitos, estar de férias signifique relaxamento ou extravagância, nosso organismo é sistemático na resposta aos intempéries e aos abusos, esteja o viajante em Londres, no Japão, na Antártida, na Amazônia ou em Bom Jesus do Galho, além dos casos em que o mal-estar surge sem motivo algum. Portanto, amigo turista, ter um “antidotozinho” para pequenas emergências não custa. Sem querer incitar o uso de medicamentos de forma irregular e/ou arriscada, sugiro que leve na bagagem alguns remédios que poderão aliviar ou mesmo eliminar possíveis desconfortos físicos. Eu, por exemplo, carrego analgésico contra dores de cabeça; comprimidos contra os sintomas da gripe ou do resfriado; anti-inflamatórios; antiácidos; pastilhas contra a tosse, irritação da garganta ou faringite; curativos adesivos, entre outros. Todos isentos de prescrição médica. Felizmente, quase não faço uso desses medicamentos, mas tê-los comigo é uma forma de garantir meu bem-estar longe de casa. E caso você faça uso de medicamentos controlados (tarja preta e antibióticos), procure levá-los na bagagem de mão, preferencialmente dentro da embalagem original para melhor identificação e acompanhados das respectivas prescrições médicas. É uma forma de comprovar, na fiscalização sanitária de um país, que o remédio é seu e que você tem autorização para utilizá-lo. No mais, saúde!


Transporte de alimentos (viagens internacionais)

Já passei por duas frustrações na alfândega. Na primeira, retornando de Paris, a Receita Federal inutilizou três latas de um alimento para gatos. Todo mundo ganhou presente, menos os gatos. Na segunda, retornando de Buenos Aires, foram inutilizadas duas latas de doce de leite. Tive que me contentar só com os alfajores. E já presenciei gente deixando para tráz queijos italianos caríssimos e gente que trouxe a melhor sardinha de Portugal, optando por comê-la na alfândega mesmo, antes da inutilização, pois isso é permitido. Dá pena ver o turista frustrado, mas é ótimo quando eles começam a comer e oferecem para a gente. Se na viagem de volta você vir um passageiro com queijo, presunto ou sardinha na mão, fique colado nele. Assim, na alfândega, você poderá filar um tira-gosto de primeira. Ou vai deixar esse minibanquete ir para o incinerador? Brincadeira! Não sou sacana assim :-).

Toda essa história é para explicar que é proibida a entrada de certos alimentos no Brasil, exceto os adquiridos nos free-shops brasileiros. Segue, então, uma lista dos produtos mais comuns que podem e que não podem entrar no país:

• São permitidos: azeites de origem vegetal; produtos de origem vegetal industrializados e embalados a vácuo, enlatados, em salmoura e outros conservantes; chocolates (êba!); alfajores (êba!); bebidas em geral (chás, sucos e refrigerantes); margarina e pasta de cacau; café solúvel ou torrado e moído; açúcar refinado e embalado.

• Não são permitidos: frutas e hortaliças frescas; sementes; carnes de qualquer espécie, in natura ou industrializada (embutidos, presuntos, enlatados); leite e derivados (queijo, manteiga, doce de leite, iogurtes); produtos apícolas (mel, cera, própolis); ovos e derivados; alimentos para animais; comida servida a bordo.

E não tente enganar a Receita. No avião, você receberá um folheto onde deverá declarar, entre outros, se está de posse de algum alimento. Se você declarar que não traz nada irregularmente e tiver algum desses itens proibidos citados acima, o mesmo será inutilizado na sua presença. Futuramente, o passageiro estará sujeito a penalidades.

Sei que isso é péssimo, mas lei é lei. Não vale a pena estragar sua viagem, mesmo que ela esteja no finalzinho. Então curta o seu destino, coma tudo o que quiser por lá e mate a gente de inveja aqui.


Bagagens: o que levar e limite de peso e volume

Um extravio de bagagem não pode arruinar seu passeio. Para tentar contornar esse problema, carregue na bagagem de mão o necessário para você passar pelo menos um dia. É importante destacar algumas restrições quanto ao transporte de produtos líquidos nas bagagens de mão em voos internacionais:

• Cosméticos, como géis, pastas e líquidos (xampus e cremes), não podem exceder o limite de 100 ml por recipiente, devendo ser conduzidos em uma embalagem plástica transparente de até 1 litro (tipo zip lock) e apresentados na inspeção do raio-x separadamente da bagagem.

• Medicamentos, exceto os de uso comum, devem ser acompanhados da prescrição médica.

• Alimentação para bebês ou líquidos especiais, como sopas, xaropes e soro, podem ser transportados, desde que na quantidade a ser consumida no voo.

Fique atento ao limite de bagagens. Em voos domésticos, o peso da bagagem de mão não pode ultrapassar os 5 kg e suas dimensões não podem ser maiores que 115 cm (altura + comprimento + largura). Caso esse limite seja excedido, a companhia aérea poderá optar por despachar a bagagem. E por mais que você consiga embarcar com excesso, lembre-se de que outras pessoas irão precisar de um espaço no avião para guardas suas coisas. Não ocupe todo o espaço.

Quanto às bagagens a serem despachadas, o limite em voos domésticos é de 23 kg por passageiro. Em voos internacionais esse limite pode variar. Para a Europa, por exemplo, são permitidas 2 malas com até 32 kg cada uma. O excesso de peso de uma bagagem não pode ser compensado na outra. Exemplificando, se você possui uma bagagem de 1 kg e outra de 40 kg, irá pagar excesso pela segunda, mesmo não tendo atingido os 64 kg permitidos (somadas as duas bagagens).

Para saber mais sobre o limite de bagagens, consulte a companhia aérea.


tag

Tag de bagagem

Quando uma bagagem é extraviada, uma das formas de localizá-la é por meio da etiqueta de identificação, também conhecida como tag. Geralmente, vem amarrada a uma das alças da mala. Na etiqueta, o viajante insere seu nome, endereço, telefone, e-mail ou qualquer outra informação que julgar importante. Algumas companhias aéreas fornecem a tag, em que, além das informações pessoais, o viajante inclui o número do voo e o endereço onde vai se hospedar no destino. É interessante que se tenham duas tags: uma para ser colocada na parte de fora da mala e outra na parte de dentro, assim, caso a tag de fora seja danificada ou arrancada, a de dentro ajuda na identificação. De qualquer forma, com ou sem tag, se sua bagagem for extraviada ou for entregue avariada, registre a reclamação no balcão da companhia aérea e da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).


O que vestir e quais acessórios usar

Não se preocupe, não sou nenhum ditador da moda, mas você precisa saber sobre o que vestir em determinados lugares para não adoecer por causa do frio ou do calor. Alguns acessórios não são menos importantes.

Em lugares frios, à medida que a temperatura vai baixando, sua mala vai aumentando. Para a parte de cima, você irá precisar de uma jaqueta mais “pesada” (acolchoada, de couro, sobretudo etc.) e de camisas de manga comprida, sejam de lã, moletom ou algodão. Esse número de camisas pode aumentar, dependendo do frio de onde você estiver. O máximo que usei até hoje foi uma de lã com uma de algodão e uma camiseta de manga curta por baixo, além das duas jaquetas. Para a parte de baixo, além da calça, você poderá precisar de um reforço, como a malha térmica, utilizada por baixo da calça. Caso você não consiga comprar essa malha, use uma meia-calça. Isso mesmo, sei que é constrangedor para você que é homem, mas não se preocupe, ninguém vai ver. Para arrematar o frio, lembre-se das meias grossas, das luvas, dos cachecóis e dos gorros.

Dependendo do frio, algumas roupas ou acessórios precisam ser apropriados para suportar temperaturas muito baixas. Se você não possui ou não quer comprar esse tipo de vestimenta, procure pelas lojas que os alugam. Pode sair mais em conta.

Em lugares quentes é fácil: roupas leves. Não se esqueça do chapéu ou do boné, principalmente se sua cabeça é lisa como a minha. E reforço: se sua pele é muito clara, filtro solar. Se sua pele é escura, filtro solar. Portanto, filtro solar sempre. Em lugares onde a insolação é intensa, use óculos escuros, especialmente nas praias de areias muito claras.

Provavelmente, você irá bater muita perna na sua viagem, então não se esqueça de um sapato confortável. Os tênis esportivos são os mais aconselhados. Caso você opte por outro tipo de calçado, reforce-o com palmilhas especiais. O uso da palmilha, além de ajudar a prevenir lesões nos joelhos e na coluna, alivia a dor na planta dos pés. Eu uso sempre, seja com tênis esportivo ou outro calçado.


fotografia

Câmeras fotográficas

Você está com a máquina fotográfica na mão e, de repente, surge uma paisagem maravilhosa ou uma cena incrível que precisam ser registradas. Imediatamente, você liga a câmera e a bateria puó puó puó… Isso aconteceu comigo em Florença e quase tive um derrame de tanto desgosto. Mesmo tendo duas baterias, esqueci de carregar uma delas, esgotada dias antes. Portanto, amigo turista, duas coisas são importantes: primeiro, tenha sempre uma bateria sobressalente; segundo, logo que acabar a carga, coloque a bateria para carregar. Não se esqueça também de ter um cartão de memória extra, assim você não precisa apagar as fotos feitas anteriormente com a finalidade de ganhar espaço para as novas. Complementando a sugestão, caso você leve na bagagem dispositivos como notebook ou tablet, aproveite e faça um backup das fotos no final de cada dia, descarregando-as da câmera e gravando-as na memória do dispositivo. Viremos nossas bocas para lá, mas vai que você perde a câmera! E se ela for roubada?! Paranoia pouca é bobagem.


tomada

Tomadas internacionais

No estrangeiro, cada região ou país possui um tipo de tomada elétrica. Aí a moça dos belos cabelos cacheados decide modelar suas madeixas com o secador que trouxe de casa, mas depara com uma tomada estranhíssima para plugue de três pinos. O cabelo da colega poderia ter ter ficado menos armado se ela, além do secador, tivesse trazido na bagagem um adaptador de tomadas universal, que pode ser adquirido em casas elétricas, free shoppings ou pela internet. Tanto suas entradas quanto seus plugues se ajustam a qualquer formato de tomada. Eu tenho um, que vem funcionando perfeitamente onde quer que eu esteja.


Check-in pela internet

Fazer o check-in pela internet é muito prático. Você assegura seu lugar no avião e evita filas. Se na sua viagem você porta somente bagagem de mão, imprima o cartão de embarque fornecido durante o check-in on-line e siga diretamente para o portão de embarque designado, sem precisar de passar pelos balcões da companhia aérea. Se há bagagens a serem despachadas, você terá que ir ao balcão.

Acesse o site da companhia aérea e saiba como proceder.


Cartão de crédito internacional

No exterior, ter um cartão de crédito internacional nunca é demais. Por mais que você leve todo o dinheiro que vai gastar, emergências acontecem em 80% dos casos. E isso vale para as viagens nacionais. Pode acontecer de você perder seu dinheiro ou ser furtado (Deus queira que não), ou você ser muito consumista e torrar toda a grana e querer comprar mais (estou até me coçando aqui), e por aí em diante. O dinheiro traz a felicidade e o cartão de crédito complementa.

Lembrando que muitas operadoras de cartão pedem para que você ligue antes de viajar avisando do seu destino no exterior, pois o cartão precisa ser desbloqueado para compras fora do Brasil. Dependendo do cartão, você pode desbloqueá-lo no caixa eletrônico do banco. Saber seu limite de crédito não é menos importante.

No momento da compra, pode ocorrer da transação não ser efetuada, seja por motivo de bloqueio, de problemas na conexão ou de limite de crédito excedido. Aí, amigo turista, você vai ter que ter dinheiro. Para evitar esse tipo de situação, fiz outro cartão. Não sei se os economistas aprovam a posse de vários cartões, mas, nesse caso, acho que vale a pena. Se os problemas com o cartão persistirem, não hesite em contactar a operadora.

Tenha o número de telefone da operadora anotado em um local seguro, assim como o número do cartão, pois, no caso de perda ou roubo, fica mais fácil de entrar em contato para fazer o cancelamento.

O cartão de crédito tem só uma desvantagem: no mês seguinte, chega a fatura.


Colaboração: Guia do Passageiro (Infraero)

Fui e vou voltar - Alessandro Paiva

contato@fuievouvoltar.com

Anúncios

  1. Marluce Alcantara

    Adorei as dicas e orientações que acabei de ler. Gosto mt de viajar mas minha dificuldade eh companhia pois alem de ter família mt pequena não gostam,ou, não podem viajar por isso procuro me enturmar, qd possível, ou ir sozinha mesmo. Tenho mt idade e por isso as vezes estranham mas fazer o que? quero ir e vou.Pretendo agora ir a Estambu. Será que erei? Fica esta dúvida

    • Alessandro Paiva

      Oi, Marluce! Obrigado pela visita e pelo comentário. Adorei sua atitude, se ninguém pode ou não quer viajar com você, então vá sozinha mesmo e divirta-se! Quanto às pessoas estranharem a idade, hum… acho que elas queriam estar viajando e/ou se enturmando como você. Todo mundo adora o turista despojado, que chega, se apresenta, se interessa pela conversa e pelos costumes locais e tudo mais. Quer coisa melhor do que quando alguém de fora tem curiosidades sobre a nossa cidade? Eu também sou de me enturmar. Que me desculpem aqueles que um dia questionarem minha idade, pois continuarei fazendo isso até quando Deus permitir 🙂

      Ah, aproveito que você falou em se enturmar, olha essas dicas da minha amiga Elzira sobre etiqueta em viagem: http://elzirasimoes.wordpress.com/2012/05/10/458/

      Grande abraço e muita viagem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s