Monte seu roteiro

Viajar é ótimo e requer muito planejamento e orientação. Definir roteiro, escolher hotéis, comprar pacotes e tudo mais é sempre muito empolgante, mas alguns detalhes são fundamentais e ignorá-los pode dar muita dor no cérebro. Nem sempre as coisas são ou ocorrem como a gente espera. É preciso estar atento.

Embora eu seja um humilde turista, já passei por algumas situações e já me contaram tantas outras que me sinto na obrigação de compartilhar. Se você tem alguma dica, sua contribuição será sempre bem-vinda. Escreva para contato@fuievouvoltar.com e dê sua opinião.

E rumo ao mundo!

Pesquise preços antes de comprar o pacote

Assim como mandam os princípios da economia, pesquise antes de comprar seu pacote de viagem. As agências costumam oferecer preços completamente diferentes umas das outras e você pode sair no lucro ou no prejuízo. Já passei por experiências em que os preços variavam por volta de 30%. Os agentes sempre diziam que o sistema estava fora dor ar, ou que os preços estavam sendo atualizados, ou que precisavam conferir a reserva, bla bla bla, e, sendo assim, me ligariam mais tarde para dar um retorno. No final, quem me enrolou menos foi quem me deu os melhores preços, e NA HORA! E lembre-se: quanto mais cedo você comprar seu pacote, mais provável de pagar menos. Os valores das passagens costumam subir à medida em que o voo vai sendo preenchido, independentemente da cotação do dólar (viagens internacionais).

Pacote montado ou personalizado?

Pacote montado é bom pela praticidade. Você sabe exatamente o que vai fazer, pois o roteiro, por mixuruca que seja, já está proposto. Então, amigo turista, pacote TEM que ser bom, e isso costuma sair bem mais caro. Agora, se seu orçamento está apertado, DEIXE DE PREGUIÇA! Você esperou suas férias por um ano e vai fazer o que os outros mandam?! Faz o seguinte: defina aonde você quer ir. Em seguida, pesquise sobre o local, seus pontos turísticos, suas atrações e monte seu próprio roteiro. Isso é fácil de se fazer. Na internet está cheio de almas boas (como a minha 🙂 ) que estão dispostas a dividir informações e experiências, seja por meio de blogs, sites, grupos de discussões, comunidades, entre outros. PESQUISE! A não ser que a agência ofereça um guia, seu pacote não vai ter nada mais que passagens, hospedagem, traslado e, com muita sorte, um city tour gratuito. E vou dizer mais: é durante o traslado e o city tour que as agências vendem os passeios locais, entonces, elas também ganham com esse agrado que dão.

Exemplificando – e já contei isso neste blog – certa vez fui a Natal por meio de pacote montado, daqueles que aparecem em anúncios e vitrines de agências. Foram 7 dias, com passagens, hotel e traslado. Na época, isso me custou R$ 1.390. No ano seguinte fui ao mesmo lugar, na mesma temporada, porém personalizei o pacote. Comprei a passagem da companhia aérea que queria, fiquei no hotel que escolhi e tive direito a traslado. Foram 12 dias. Paguei R$ 1.050. Tudo com a mesma qualidade. Na verdade, essa estratégia foi do meu amigo Élcio. Fiz a linha parasita e fiquei só curtindo o lucro :-).

Concluindo, se você tem dim-dim e não está afim de montar roteiro, pague por um BOM pacote, com tudo incluído e um BOM guia. Agora, se és puebre como eu, dê um jeito e construa seu próprio roteiro. E quer saber, o jeito pobre é muito mais divertido. Você começa a curtir a viagem antes mesmo dela começar e, quando chega ao destino, tem a sensação de ter estado ali por várias vezes, se achando o nativo. Sem falar na liberdade e na flexibilidade que isso proporciona. Liberdade de não ter que viajar com turma chatíssima que quer só fazer compras; ou que detesta andar a pé; ou que não sabe nada sobre onde está; ou que adora acordar cedíssimo quando você está de ressaca por ter chapado todas na noite anterior e precisa de apenas uma hora a mais de sono. Já estive nos dois lados.

Agência de turismo ou internet?

Suponhamos que você opte por personalizar seu pacote e defina um trajeto muito complexo. Exemplificando, você inicia sua viagem em São Paulo e vai até Roma com escala em Lisboa, porque assim ficou mais barato, hipoteticamente. Você fica em Roma por 4 dias, em seguida em Firenze por 2 dias, depois em Veneza por mais 2. Então você parte de trem para Paris, fica lá por 6 dias e segue de avião para Londres e por aí vai. Tudo muito intrincado e do seu jeito, afinal você quer assim, certo? Para viajar dessa maneira, aconselho você a procurar um BOM agente de viagens e montar esse roteiro cuidadosamente, definindo os melhores horários, localizações e, principalmente, preços. Desse jeito você terá mais segurança e contará com a experiência do agente.

Mas se o seu roteio é simples, do tipo São Paulo-Roma-São Paulo e permanecendo lá por 7 noites, por que não comprar esse pacote pela internet? Sites como o Decolar.com, Americanas.com Viagens, Submarino Viagens, ViajaNet, Hoteis.com e Booking.com são uma ótima opção. Eles fazem um apanhado de uma enorme lista de voos e hotéis, do mais barato ao mais caro. Você escolhe a sua combinação e voilà! É só pagar e esperar o dia da viagem. O preço mostrado inicialmente será acrescido de taxas e do seguro, subindo um pouco o valor do pacote. A taxa de embarque é obrigatória. O seguro ainda não o é, mas conhece a Lei de Murphy? Pois é, é bom pagar por essa taxa.

A única desvantagem desses sites é que eles não oferecem traslado. Aí você tem que pesquisar sobre o local de destino e descobrir o melhor jeito de chegar ao hotel. Meu amigo Élcio é ótimo para isso, fica diante do computador verificando todas as opções de todos os sites, como se estivesse investindo na bolsa. E ele consegue pacotes muito em conta. Isso depende muito também da cotação do dólar. Se o bunito cai, o preço da viagem também.

Como montar seu roteiro

Montar roteiro é uma das partes mais divertidas da viagem. Mas, conforme eu disse anteriormente no item “Pacote montado ou personalizado?”, é preciso muita pesquisa. Para isso, você pode consultar sites de turismo, blogs, comunidades na internet, cadernos de turismo, revistas de viagem, enfim, existe uma infinidade de fontes que dão informações importantíssimas sobre os lugares.

Vou ilustrar um exemplo com uma viagem hipotética a Roma.

Primeiro passo: vá ao Google e digite termos ou frases como “Pontos turísticos em Roma”, “Onde ir em Roma”, “Museus em Roma”, “Bares em Roma”, “Diversão em Roma” e por aí em diante. Certamente aparecerá uma lista infinita de endereços eletrônicos. Acesse muitos desses endereços e anote os nomes dos pontos fornecidos. É bom dar uma atenção especial às atrações mais citadas, pois, com certeza, são os lugares onde não se pode deixar de ir. E não se esqueça de dar uma olhada nas revistas e cadernos de turismo.

Segundo passo: baixe e instale no seu computador o Google Earth, um software que possibilita a visualização de mapas em vista aérea ou utilize o Google Maps (www.maps.google.com).

Terceiro passo: com os nomes das atrações anotados, vá ao Google Earth ou Google Maps e confira esses locais no mapa. Para isso, basta digitar o nome do local no campo de pesquisa e o aplicativo vai marcar sua localização. Depois de verificar a localização de cada um, agrupe esses pontos por proximidade. Após formados os grupos, distribua-os nos dias disponíveis de sua viagem, sem esquecer de verificar as datas e horários de funcionamento de cada atração (museus, por exemplo). No agrupamento, você tem que levar em consideração a distância percorrida nos trajetos (a pé ou por meio de transporte) e o tempo gasto nas atrações. Aproveite seu tempo ao máximo!

Dica: o Google Earth e o Google Maps têm uma ferramenta que funciona como uma régua, em que você vai marcando o percurso em pontos e a distância total é fornecida. Se não conseguir fazer isso, verifique a quantidade de quarteirões e faça uma estimativa, levando em consideração o tamanho de cada um, é claro.

Quarto passo: pesquise sobre os meios de transporte que levarão você ao ponto de partida de cada jornada diária, assim como aqueles que o levarão de um ponto turístico a outro e os que o trarão de volta ao hotel. Pesquise, também, sobre os horários de funcionamento desses meios. O Google Maps é uma boa ferramenta para tanto, bem como aplicativos de transporte público.

Quinto passo: com o roteiro montado, volte aos nomes dos locais anotados e faça uma pesquisa histórica. Procure saber a idade dos locais, as personalidades relacionadas, as curiosidades, os acontecimentos marcantes. Dessa maneira, você irá entender melhor o que está visitando e sua viagem ficará muito mas interessante.

Sexto passo: veja filmes e leia livros sobre os lugares aonde vai – ficção vale! Um viés mais imaginativo ou cultural é uma excelente opção para “temperar” seus roteiros. Por exemplo: ler Baudolino, de Umberto Eco, antes de ir a Istambul ou assistir a A Lista de Schindler, dirigido por Steven Spielberg, antes de ir a Varsóvia.

Previsão de custos

Prever os gastos em uma cidade é um pouco difícil, afinal somente no local de destino é que saberemos os preços reais das coisas. Em pesquisas pela internet é possível saber o quanto se gasta nas principais capitais do mundo, mas à medida que o tempo passa, esses valores vão se defasando.

Existe um site que é uma mão na roda para esse tipo de problema. Chama-se Numbeo (www.numbeo.com). Esse site permite aos usuários ver e compartilhar informações sobre o custo de vida nas principais cidades mundo. Dessa maneira, são fornecidos preços de todo o tipo de coisa, seja compra e aluguel de imóveis, hotéis, transporte público, alimentação, combustível, entretenimento, câmbio. Você pode, inclusive, comparar os preços entre uma cidade e outra. É sensacional! Cadastre-se e ajude o Numbeo a desenvolver um banco de dados cada dia mais extenso e exato sobre sua cidade.

Programa de milhas

Assim que você comprar seu bilhete aéreo, não perca tempo e faça seu cadastro no programa de milhas, caso ainda não o tenha feito. No momento do check-in, mostre seu cartão fidelidade ao atendente e acumule pontos para convertê-los em uma viagem futura. Viajar de “graça” é ótimo!

Se seu cadastro é novo e a companhia aérea ainda não enviou seu cartão pelos correios, utilize o provisório, que certamente será fornecido.

Anúncios

  1. Shirley Rocha

    Estou viciada em blogs já tem um tempinho, desde a minha primeira viagem a Lisboa, dai pra frente, nunca mais parei.
    Por ter me identificado com a sua fala, “humildade” ao escrever, resolvi contribuir e falar um pouco das minhas aventuras e experiência de turista econômica. Sou formada em Geografia e moro em Brasília, tenho um carinho e identifcação todo especial pela Europa, por esse motivo desde 2009, tenho ido todos os anos.
    Procuro montar meus roteiros sempre procurando conhecer países próximos um do outro e no máximo 4 por vez no período de 16 dias. Não falo nada em inglês, somente faço mimicas, mas pago dobrado pelas minhas viagens porque levo comigo meu filho de 17 anos que é fluente, esperto e tem uma noção geográfica de tempo, preço e espaço ótima para a idade, na verdade é um investimento…
    Somos parceiros e gostamos dos mesmos lugares. Chegamos ha uma semana de uma viagem de 16 dias passando por Praga(5dias), Viena(5dias), Bratislava(bate e volta, 1 dia) e Budapeste(3 dias).
    Compro todas as passagens de trem de ligação de uma cidade para outra ou pela internet com antecedência ou na cidade mesmo. Pelo fato de gostar de temperaturas amenas apesar de ter por várias vezes pegado invernos rigorosos, procuro viajar em março, “baixa temporada”, na Europa não existe baixa, talvez a menos alta. Reservo hotel pelo booking.
    É isso ai, pretendo ir ano que vem para Munique e Berlim, dar uma passadinha em Praga novamente e gostei do seu post sobre Berlim ele me será muito útil na montagem da viagem. Um forte abraço, obrigada pelo espaço!

    • Alessandro Paiva

      Oi, Shirley! Muito obrigado pelo comentário. Seu relato certamente motivará um monte de gente a viajar. E que bom que dividimos o mesmo “vício” :-). Venho viajando desde os 11 anos de idade, graças aos meus pais, que me iniciaram nisso. Eu também estive em Praga, precisamente há três semanas. Será que nos encontramos lá? Porque os únicos brasileiros que vimos por lá foram duas mulheres e um rapaz, daqui de Belo Horizonte. Estávamos eu, meu amigo Élcio e minha amiga Clarice. Encontramos esse pessoal de frente para o relógio astronômico. Eles também haviam estado nos mesmos locais em que vocês estiveram.

      No mais, muito obrigado por sua contribuição. Em breve posto sobre um retorno a Roma e sobre Barcelona, Madri, Toledo, Praga e Amsterdam. Ô viajem boa, essa última que fiz! Rsrsrs!

      Abraço 🙂

  2. Shirley Rocha

    Acho que não fomos nós não, apesar que estavámos em duas mulheres e o meu rapaz, nesse mesmo período. Encontramos dois mineirinhos de Uberlândia, na Igreja do Menino Jesus de Praga, eles foram bem simpáticos conosco.
    Obrigada pela atenção e o espaço, até mais!

    • Alessandro Paiva

      Eu é que agradeço, Shirley! E você acredita que não fomos à Igreja do Menino Jesus de Praga?! Minha mãe me perguntou sobre ela e eu nem sabia que existia. Que vacilo!

  3. renata souza

    Alessandro, adorei seu blog, tudo que falou sobre Baia Formosa é isso mesmo, tanto que ha dois anos planejo mudar para lá. Realmente, o passeio “por nossa conta e risco” é muito mais gostoso !!!rsrsrsr
    Parabens e obrigada por compartilhar conosco !!! Deus o abençoe. Abraços…..

  4. Eliane Alvarenga Maia

    Oi Alessandro!Já escrevi ano passado para você e agora, em maio, eu vou pra Budapeste,Bratislava,Viena,Praga,Berlim e Paris.Achei tudo em seu blog só não achei Berlim.Anotei tudo e espero gostar muito.Adoro seus comentários.Um abraço.Eliane.

    • Alessandro Paiva

      Oi, Eliane!!! Obrigado pelo retorno 🙂 Quanto a Berlim, tenho duas postagens. Confere na página inicial. Uma chama “Berlim, ig mog di” e o outro “Berlim como eu vi”. Aproveito e indico o melhor blog sobre a capital alemã: http://www.agendaberlim.com. Abraço e aproveita bastante! Seu roteiro está show!

  5. Olá Alessandro ! Gostei do seu jeito simplificado e objetivo de idealizar e descrever suas viagens. Suas fotos tem belas pespectivas! Encontrei seu blog num site de search e gostei. Gostaria de uma sugestão: Estarei em Portugal em agosto próximo. Chegando por Porto farei dois bate voltas: Aveiro e Guimarães. Em seguida irei para Lisboa e de lá para Algarve (que ainda não conheço). Do Algarve gostaria de conhecer um pouquinho da Andaluzia, porém só me restarão 12 dias e estou em dúvida de quais cidades poderia conhecer nesse período, saindo do Algarve em direção à Barcelona. Estou corujando algumas delas: Córdoba, Granada, Sevilha, Toledo. Não coloquei Madri pois essa é para um “irei e espero voltar”! Você teria algum post sobre estas cidades? Ou alguma outra sugestão, de forma que o retorno ao Brasil seja de Barcelona? Mil obrigadas!

    • Alessandro Paiva

      Oi, Jane! Muito obrigado pelo comentário 🙂

      Infelizmente, ainda não conheci a Andaluzia. Fomos a Toledo numa viagem bate-e-volta e foi sensacional! Confira meu roteiro (um pouco bagunçado, rsrsr!) em https://fuievouvoltar.com/2013/10/22/um-dia-em-toledo/ . Já o post sobre Madri, você pode acessar em https://fuievouvoltar.com/2013/07/01/deixando-o-rastro-em-madri/ , e o de Barcelona em https://fuievouvoltar.com/2013/05/19/tibidabeando-em-barcelona/

      No mais, certamente você irá a adorar Córdoba, Granada e Sevilha. Quem foi, amou! Entre elas, eu escolheria Sevilha, mas é uma questão pessoal. Pesquise mais na internet para ver o que o pessoal diz e faça a sua escolha 🙂

      Quando fui a Barcelona, de lá, segui para a República Tcheca, então não retornei ao Brasil dessa cidade. Se for para facilitar seu trajeto, a cidade mais perto de Barcelona seria Toledo (não tão perto), que fica a pouco mais de meia hora de Madri. Você iria a Toledo, seguiria para Madri de trem (caso não esteja de carro) e de lá mesmo iria para Barcelona. A viagem de trem de Madri a Barcelona dura quase 3 horas.

      No mais, é isso. Se tiver outra dúvida, pode me escrever que tentarei te ajudar.

      Abraço e ótima viagem!

  6. Oi, Alessandro! Obrigada pela gentileza em ajudar-me com as sugestões que pedi. Consegui um vôo do Algarve para Madri (pela complicada Ibéria) –de trem teria que fazer muitas conexões, além de muitas horas perdidas em trânsito –e minutos na Europa se contam em €, né?…acho que fiz um bom negócio. E deixarei a Andaluzia para uma próxima vez. Então troquei a Andaluzia por Madri e um pedacinho da Cataluña (Barcelona), cuja viagem no AVE, farei no sentido inverso da sua (Madri => Barcelona). Já li seu post de Madri: vocês são verdadeiros walkers! Como sempre dei boas gargalhadas. Quero nem ver o palhaço de “Jogos Mortais”…tá mais para “O Albergue”…rs..rs. Até para o teleférico de Madri tem-se que comprar o ingresso com antecedência? Abçs -Obs.:Demorei a responder pq não sinalizei a caixinha de aviso.

    • Alessandro Paiva

      Oi, Jane!!! Eu é que agradeço por passar por aqui 🙂 Viagem é assim mesmo: há contratempos, mas as alegrias e os prazeres sempre superam qualquer imprevisto. Aproveite bastante! Quanto ao teleférico, eu e o Élcio éramos os únicos a fazer o passeio no dia em que fomos lá. Então, não há necessidade de reserva, nem em alta temporada. Apenas confira no site do teleférico se o mesmo estará funcionando no dia da sua visita. Abraço é uma excelente jornada pra você é pra quem estiver te acompanhando 🙂

  7. Rosa Lychnos

    Olá Alessandro, grata por nos dar tanta informação, vou viajar até Atenas em Junho, as suas dicas são muitíssimo boas e bem explicadas.
    Vivo em Portugal e sou de descendência grega, ando há muito tempo a pensar fazer esta viagem e decidi que será em 2017, fiquei surpreendidíssima por encontrar tanta informação através do seu blog, só tenho que lhe agradecer, estou em pesquisas como deve calcular e irei por minha conta e risco mais uma amiga de maneira que todas as suas instruções são preciosas e provavelmente vou pedir mais alguma indicação, um grande abraço para si e muitas viagens para o futuro

    • Alessandro Paiva

      Muitíssimo obrigado, Rosa!!!! E que prazer poder receber um comentário de uma colega de Portugal, terra que eu amo tanto! A propósito, estive em Lisboa antes de ontem! Adoro sua terra! Abraços!

    • Jeyce

      Olá Rosa ,

      Como vai ??

      Já fez seu seguro viagem , não deixe de ter um corretor de sua confiança , para estar protegido em suas viagens ,

      Entre em contato conosco , faça sua cotação , temos condições especiais para seguro viagem , e estamos a disposição para lhe auxiliar em duvidas com o seu seguro .

      Email : jeycesouza@5gseguros.com.br
      Telefone : 95650-2096
      2640-0313

      Att ,

      Jeyce Souza
      Consultoria em seguros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s